segunda-feira, 17 de julho de 2017

‘O Mínimo para Viver’


Netflix acaba de lançar em seu serviço de streaming o drama ‘O Mínimo para Viver‘ (To the Bone), dirigido por Marti Nixon (‘Buffy – A Caça Vampiros‘).
No filme, Lily Collins (‘Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos‘ e ‘Simplesmente Acontece‘) interpreta a jovem Ellen, que sofre com a anorexia e acaba conhecendo um médico fora dos padrões normais (Keanu Reeves). Ao invés de apenas fazer os tratamentos necessários para ajudar a paciente, o Dr. William Beckham desafia a moça abraçar sua vida e encarar o problema de cabeça erguida.
Marti Nixon também escreveu o roteiro, baseado em experiência reais da sua própria vida


Angústia sem Fim

Exibido no Festival de Sundance deste ano (em janeiro), O Mínimo para Viver foi prontamente comprado e distribuído pelo colosso Netflix em sua plataforma, sem passar pelos cinemas comercialmente. O fato não deixa de ser uma iniciativa louvável da empresa, uma vez que tais tipos de filmes, independentes, poucas chances têm de serem vistos, mesmo nas poucas salas exibidoras que ocupam.
Como parte do acervo da plataforma, tais obras menores conquistam uma sobrevida e maior acessibilidade. Escrito e dirigido por Marti Noxon (diretora responsável pela adaptação do livro Objetos Cortantes de Gillian Flynn, autora de Garota Exemplar, na forma de uma série de TV protagonizada por Amy Adams, que estreia ainda este ano), a proposta de O Mínimo para Viver é descortinar a anorexia, doença que faz suas vítimas definharem tanto fisicamente, quanto de forma mental. Uma pessoa anoréxica sempre se vê fora do corpo desejado, no caso acima do peso, causando um distúrbio alimentar sério. O anoréxico conta calorias, cria aversão à comida e muitas vezes vomita ou cospe o alimento para evitar o acréscimo de peso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário